Segunda 24 Jul 2017

Home

Imprimir

LEGADO

A Filhos de Bimba Escola de Capoeira traz em sua aplicabilidade a metodologia de Mestre Bimba, patrono da Capoeira Regional. Seus seguidores defendem a importância de pragmatismos para uma arte que estava em desenso, ou seja, regras, princípios, tradições que cerceiam uma manifestação que chegou até a ser proibida pelo código penal - a capoeira. Em paradoxo a tudo isso, a Capoeira Regional e sua essência se aglutinam à necessidade atual do novo milênio. Um exercício físico mental adornado de ritmos, cantos, coros, movimentos de ataque e defesa, resultando naturalmente na liberdade de expressão. Uma cultura física que desenvolve vigília, auto-controle, condicionamento físico dentre outros benesses, agregando valores à auto-estima, administração de conflito, estratégia, lógica, raciocínio, domínio do corpo, história, artesanato, entre outros. Hoje, encaramos a capoeira Regional não apenas como exercício de auto-defesa, mas também como uma peça auto-disciplinar, que consegue preencher as carências filosóficas, culturais, musicais do mundo moderno. A Capoeira Regional de Mestre Bimba é uma filosofia do bem viver, desprovida de preconceitos, unindo polaridades, equalizando energias... uma ferramenta tropical para a paz mundial - uma filosofia de vida. 

Imprimir

OBJETIVOS

        Resgatar e difundir o legado de Mestre Bimba para quaisquer nacionalidades se preocupando com a padronização exigida pela escola. 

Imprimir

HISTÓRICO DA CAPOEIRA REGIONAL

A capoeira Regional resultou da conjuntura histórica do início do século XX, quando Mestre Bimba viu-se incumbido em resgatar os valores da capoeira, que pareciam estar sofrendo mutações e opressões resultantes de pressões da época, e em articular um método pedagógico que resistisse à opinião individual.

Produto resultante do batuque (samba-luta) e da Capoeira Primitiva, a Capoeira Regional torna-se um divisor de águas uma vez que se dissemina através dos segmentos sociais mais variados e solidifica-se como arte, cultura e luta. No Brasil pós- escravocrata, a prática da capoeira era intensamente associada à marginalidade já que estava prevista no Código Penal.

Durante uma apresentação de Mestre Bimba à Getúlio Vargas em 1953, período marcado por movimentos, a Capoeira foi declarada parte da manifestação cultural brasileira. Mestre Bimba adentra os espaços universitários e, livre de qualquer classificação social ou sexual, delimita uma linha ideológica consistente, enraizada e moderna para a época, passando a ser identificado por seu alunos como “formador de homens”. Tal fato deve-se à alta pedagogia inserida em seu método de ensino, que reunia técnica, disciplina, ancestralidade amarrados à identidade brasileira com a malícia e alegria.

A consistência foi tamanha que em 1996, Mestre Bimba recebe, pós-morten, o Título Dr. Honóris Causa,  da Universidade Federal da Bahia e em 15 de Julho de 2008, a roda de capoeira foi declarada “Patrimônio Histórico-Cultural” pelo Ministério da Cultura. 

 Mestre Bimba, diz: “Em 1928, eu criei, completa, a Regional, que é o batuque misturado com a angola, com mais golpes, uma verdadeira luta, boa para o fisico e para a mente.”

Imprimir

HISTÓRICO - Filhos de Bimba Escola de Capoeira

Em 1986 Mestre Nenel funda a Filhos de Bimba Escola de Capoeira, que forma sua estrutura legal através da Fundação Mestre Bimba (FUMEB), em 1990 . A Capoeira Regional expande-se para o mundo estabelecendo núcleos em diversos países e segue o rumo da formalidade com a Associação Brasileira de Capoeira Regional (ABCR).

Finalmente, em 2010 a Filhos de Bimba Escola de Capoeira realiza seu primeiro marco histórico: o Iê 2010 Encontro Internacional reúne no Forte da Capoeira em Salvador alunos de núcleos do Brasil e do mundo, em 4 dias de oficinas culturais que se encerram com a Formatura, onde 18 se tornam formados – lenço azul – 12 se tornam especializados – lenço vermelho, 7 concluem o Curso de Armas – lenço amarelo e 4 recebem o título de mestre – lenço branco.  

Login



Fale conosco

Email:
Assunto:
Mensagem: